Nutrição e sustentabilidade: Agroecologia como nova estratégia para a promoção da saúde coletiva

novembro 9th, 2012

O início do que se pode chamar de Promoção da Saúde deu-se na década de 1970 no Canadá com a análise das principais causas determinantes da morbidade e mortalidade no país e como tais causas influenciavam a saúde da população. Atualmente, o que se tem sobre ideário de Promoção da Saúde pode ser percebido como um processo orientado por uma visão de saúde que considera as diversas causas saúde-doença a partir de valores éticos, participação popular, equidade, práticas intersetoriais e promoção da sustentabilidade, assim sendo, a saúde é percebida como produto de diversos fatores (ambiental, físico, social, político, econômico e cultural) relacionados com a qualidade de vida.
Neste contexto, a Agroecologia aparece atualmente como estratégia Sustentável características nutricionais em relação á Promoção da Saúde coletiva. A Agroecologia é caracterizada como um movimento sociopolítico de fortalecimento do agricultor em busca de sua identidade e raízes culturais, mais do que tratar do manejo ecologicamente responsável dos recursos pode-se usar o termo “Agricultura Ecológica” para se referir à ela. Neste contexto os alimentos produzidos por meio deste padrão são chamados de “alimentos ecológicos”, sendo que ecológicos ou orgânicos, são termos que podem ser usados para a mesma ideia.
A Agroecologia sustenta o conceito de Segurança Alimentar e Nutricional (SAN) do Brasil, que é definido como “a realização do direito de todos ao acesso regular e permanente a alimentos de qualidade, em quantidade suficiente, sem comprometer o acesso a outras necessidades essenciais, tendo como base práticas promotoras de saúde, que respeitem a diversidade cultural e que sejam social econômica e ambientalmente sustentáveis”(CONSEA, 2007). Entre as diretrizes da SAN aparece a conservação da biodiversidade e a utilização sustentável dos recursos no processo de produção de alimentos, a promoção da agricultura familiar e das práticas de Agroecologia.
Segundo Elaine de Azevedo e Maria Focesi Policioni, a agroecologia é uma produção de alimentos saudáveis que dialoga com várias outras áreas e dá autonomia e melhores condições socioeconômicas para o agricultor, a agroecologia é a promoção da saúde e pode enriquecer a discussão da saúde rural e a concepção das políticas publicas.
A alimentação pode ser vista sob diferentes aspectos. Um deles é o aspecto econômico que está relacionado á distribuição dos alimentos, ao preço deles, aos hábitos alimentares e á renda familiar, outro aspecto é o nutricional referente aos nutrientes dos alimentos, quando há carência desses nutrientes, a qual influencia na relação saúde e doença, trata-se do aspecto social, ou seja, verifica-se a situação social do indivíduo, o estilo de vida, considerando o aspecto cultural que dita as preferências, as tradições alimentares, repulsões, ritos e tabus. A Agroecologia, por se tratar de uma agricultura sustentável e ecológica ou orgânica, encaixa-se favoravelmente com os aspectos citados visando uma melhor distribuição dos alimentos, desde que tenham qualidade e mantenham as tradições de uma sociedade.
Entre as grandes vantagens da produção agroecológica ou orgânica está o fato dos vegetais serem mais nutritivos e saudáveis, não conter resíduos químicos tóxicos e contribuir para melhorar a qualidade do solo, água e do ar. Vários são os benefícios oferecidos pelos produtos agroecológicos: a melhoria de renda para agricultura familiar (fator econômico), a preservação da natureza e harmonia social (fator socioambiental), a maior qualidade no sabor e seu valor nutricional elevado (fator nutricional), a promoção da qualidade de vida, tanto para quem produz como para quem consome (fatores nutricional e social).
A proposta de perceber Agroecologia como estratégia Sustentável de promoção da saúde deve ser também considerada, uma vez que o padrão agropecuário brasileiro moderno é um dos elementos de maior interferência no equilíbrio do meio ambiente e interfere diretamente na Saúde coletiva. Considerando o Brasil como um país de base agrícola, o meio rural e a agricultura são atividades primárias essenciais, repercutem nas condições de vida da população e configuram-se como estratégia para fortalecer as propostas de segurança alimentar e de promoção da saúde e da sustentabilidade, daí a importância de fortalecer a agroecologia como conceito e prática para uma vida sustentável.

Texto de autoria das alunas do curso de Nutrição: Poliana Lacerda Maciel da Mata, Tatiane Calado de Avelar, Thays Mendes, Tamara Figueiredo da Silva e Valéria Hemsing Dornelas

Deixe uma resposta